In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player

Powered by RS Web Solutions

Brasil consegue registro de reserva mineral em alto-mar

PDF | Imprimir | E-mail

 

O Brasil poderá pesquisar e explorar por 15 anos uma reserva mineral no Oceano Atlântico a cerca de 1,5 mil quilômetros da costa do Rio de Janeiro, onde podem existir volumes consistentes de cobalto, níquel, platina, manganês e terras raras. A autorização foi confirmada nesta terça-feira, 22, pela Autoridade Internacional para os Fundos Marinhos (ISBA), órgão das Nações Unidas, que aprovou o Plano de Trabalho para Exploração de Crostas Cobaltíferas na Elevação de Rio Grande (ERG) apresentado pela Coordenação da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar, que reúne 17 ministérios e a Marinha do Brasil.A Elevação do Alto Rio Grande é a região mais rasa da Plataforma Continental Brasileira, que se desprendeu e afundou com o movimento das placas tectônicas durante o movimento de separação do Brasil e da África. Os especialistas chamam a região de 'Atlântida' brasileira, em referência à mitológica cidade submersa.
"Esse plano vai assegurar ao Brasil o direito exclusivo de exploração da área requisitada por, pelo menos, 15 anos, ampliando o espaço do País como ator no cenário político-estratégico dessa região de interesse", disse em nota a Marinha.
A área foi descoberta a partir da criação do Programa de Prospecção e Exploração de Recursos Minerais da Área Internacional do Atlântico Sul e Equatorial (Proarea), criado e 2009. O Brasil tentava o registro da área há cerca de quatro anos.